Qual Cidade desejamos fazer para as futuras gerações ?

Pirassununga


"Sonhar sozinho é só mais um sonho, juntos poderá vir a ser uma realidade..."





E D U C A Ç Ã O

TRAÇANDO NOVOS RUMOS E SE PONDO A CAMINHAR

A cada eleição, ouve-se muito sobre a educação. Ela é sempre uma prioridade. Apesar desta unanimidade, passa a eleição entra e sai governo e a educação continua mais ou menos na mesma, senão pior. Basta darmos ouvidos a quem atua nas escolas públicas, professoras e professores. A cada ano, as condições para que desenvolvam um bom trabalho com as crianças parecem mais distantes. Para nos acadêmicos, não se trata de dizer simplesmente que a educação será prioridade. Trata-se, antes, de firmar compromissos com as propostas que surgiram dos movimentos em defesa da educação pública - e que foram consolidadas nos Planos Nacional, Estadual e Municipal de Educação da Sociedade Civil - e criar melhores mecanismos para uma gestão verdadeiramente democrática, com ampla participação popular além daquelas já geradas pelo Conselho Municipal de Educação e pelo CACS - FUNDEB - Pirassununga.

Trata-se, mais do que isto, de inverter a lógica do debate. Educação é um direito que deve ser garantido com qualidade para o conjunto da sociedade. Não se pode confundir direito com serviço, mal barateado pelo mercado. Tampouco se pode confundir programa de governo com peça publicitária. Isto significa que várias das propostas que são apresentadas carecem de debate com aqueles que deveriam implementá-las, sobretudo as professoras e os professores da rede municipal de ensino. São propostas que desconhecem o que se passa nas escolas, as questões que são vivenciadas no dia-a-dia das salas de aula. É de fundamental importância a participação da comunidade escolar na formulação das propostas a serem desenvolvidas, valorizando a autonomia da escola e dos profissionais que nela atuam.

EDUCAÇÃO COMO DIREITO DE TODOS, JOVENS E ADULTOS

Essa é uma prioridade de nosso programa de governo: encarar essa questão com seriedade e firmar o compromisso de acabar com o analfabetismo na cidade de Pirassununga até o final do ano de 2020 para todos àqueles munícipes que se colocarem dentro da sala-de-aula. Queremos abrir salas de educação de jovens e adultos, e não fechá-las, como tem sido a prática comum dos governos que ai estão. Queremos incentivar as pessoas a voltar para escola, a fazer parte dela, para que construam novos saberes e possam ter mais ferramentas para intervir em sua realidade e, conosco, possam ser protagonistas nos destinos da cidade de Pirassununga, todos têm direito a uma educação que vise não só a inserção no mercado de trabalho, mas também e sobretudo a plena cidadania, com inserção na vida cultural, no acúmulo científico e tecnológico.

CONDIÇÕES ESTRUTURANTES PARA GARANTIR EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

A ampliação de recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino, a boa gestão dos recursos do FUNDEB FNDE MEC, possibilitará iniciativas que visem a redução de alunos em sala de aula, a ousadia da experimentação de alternativas educacionais, a ampliação do período escolar, a opção por uma jornada de trabalho dos professores mais digna e dedicada aos problemas educacionais...

SALÁRIOS

Em primeiro lugar, valorizar o magistério público passa por oferecer condições de vida aos profissionais da educação, com uma política salarial decidida em garantir que, progressivamente, possam ter segurança econômica em optar por uma única jornada de trabalho, exclusiva na rede municipal, e não desdobrarem-se em várias escolas, acumulando vínculo com as redes municipal, estadual e particular, o que compromete a saúde e a qualidade do ensino.

JORNADA DE TRABALHO

Em segundo lugar, garantir aos professores o tempo necessário para o planejamento das atividades pedagógicas, bem como de sua formação profissional continuada, reduzindo o tempo em sala de aula com educandos, de modo que a cada duas horas com os alunos haja no mínimo uma hora de trabalho pedagógico.

PLANO DE CARREIRA

Em terceiro lugar, gerar o Plano de Carreira do Magistério, como fruto de debates com a categoria, fazendo prevalecer os mecanismos democráticos de decisão, tendo como referência a implantação do piso salarial do DIEESE por uma jornada de 20 (vinte) horas. Houvir ainda as contribuições da APEOESP Pirassununga e do SSM - Sindicato dos Servidores Municipais de Pirassununga.